quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Chico Science & Nação Zumbi - Banditismo Por Uma Questão De Classe

Sejam Bem Vindos ao blog Decifrando História.


Bom, para começarmos, explicarei um pouco do blog, e logo em seguida, a nossa primeira análise.
Nesse blog tentarei decifrar o máximo possível de músicas (Nacionais ou não), poesias, imagens, charges, e demais tipos de arte sobre fatos históricos.


Para iniciarmos bem o blog, irei analisar a música:

Banditismo Por Uma Questão De Classe - Chico Science & Nação Zumbi 

Composição: Chico Science 

Segue o vídeo e a letra junto à análise.





Há um tempo atrás se falava de bandidos  
Há um tempo atrás se falava em solução
Há um tempo atrás se falava e progresso
Há um tempo atrás que eu via televisão
(Cangaço (meados do séc. XIX ao início do séc. XX) foi uma dos movimentos acontecidos na República Velha, nos sertões nordestinos, caracterizando-se por ações violentas de grupos ou indivíduos isolados: assaltavam fazendas, sequestravam coronéis (grandes fazendeiros) e saqueavam comboios e armazéns. Não tinham moradia fixa: viviam perambulando pelo sertão brasileiro, praticando tais crimes, fugindo e se escondendo. Normalmente esses Cangaceiros eram guiados por líderes messiânicos, como por exemplo Antônio Conselheiro. Nessa parte cita-se as palavras chave "Bandidos", "Solução", "Progresso", essas palavras faziam parte de discursos feitos na conhecida República da Espada (1889-94), onde se pregava "Ordem e Progresso" e era comandada por Militares.)
Galeguinho do Coque não tinha medo, não tinha
Não tinha medo da perna cabiluda
Biu do olho verde fazia sexo, fazia
Fazia sexo com seu alicate
(Na história de Pernambuco, alguns nomes de criminosos que atuavam nas décadas de setenta e oitenta, viraram lenda nas crônicas populares. Galeguinho do Coque”, começou a praticar pequenos furtos ainda adolescente. Ele era diferente do esterótipo dos meninos de rua incutido na mente de quase todo mundo: menino negro ou mulato. O que tornou o Galeguinho do Coque famoso foram as suas espetaculares fugas. Ele assaltava e fugia para o Coque, ninguém o encontrava. Em 1971, entretanto, ele foi preso e condenado. "Biu do Olho Verde", um jovem de 17 anos, nascido nos Bultrins, periferia de Olinda, além de assaltante era torturador, gostava de submeter suas vítimas – na grande maioria, mulheres – a torturas. Uma das histórias que contam sobre ele diz que, depois de assaltar uma mulher ele perguntou: “quer levar um tiro ou um beliscão?” Logicamente, aterrorizada pela possibilidade de ser baleada, a mulher optou por um beliscão. Ele, então, sacou de um alicate e arrancou os mamilos dos dois seios da mulher, que ficou agonizando de dor.
Dois nomes que aterrorizaram o Recife. No Nordeste, esse tipo de discussão remete sempre à figura de Lampião, tal que era o representante máximo do Cangaço no Nordeste Brasileiro.)
Oi sobe morro, ladeira, córrego, beco, favela
A polícia atrás deles e eles no rabo dela
Acontece hoje e acontecia no sertão
Quando um bando de macaco perseguia Lampião
E o que ele falava outros hoje ainda falam
"Eu carrego comigo: coragem, dinheiro e bala"
Em cada morro uma história diferente
Que a polícia mata gente inocente
(Nessa parte à uma comparação da vida de Lampião (Cagaceiros) com os dias nos anos 90 em favelas do Brasil. Fala sobre a perseguição policial, e da Coragem desses homens do Cangaço (ou da favela, atualmente). )
E quem era inocente hoje já virou bandido
Pra poder comer um pedaço de pão todo fudido
Mostra-se também uma realidade antiga no País: Crianças e adolescentes, desiludidos com suas realidades, que entram pro mundo do crime para tentar fugir da miséria, da fome.
Banditismo por pura maldade
Banditismo por necessidade
Banditismo por pura maldade
Banditismo por necessidade
Banditismo por uma questão de classe!
Banditismo por uma questão de classe!
Banditismo por uma questão de classe!
Banditismo por uma questão de classe!
(Demonstra-se a ideia da frase: Banditismo Por Uma Questão De Classe: -Banditismo: era chamado o tipo de movimento feito pelos Cangaceiros. Eles roubavam pela miséria, pela fome, pelos ideais de repartir os "frutos"(roubos) com o restante de seu povo. Daí a ideia de "por necessidade", "por pura maldade" e "por uma questão de classe (social)". )
******************************************************************************************
É impressionante como essa letra retrata um pouco da nossa realidade no Brasil até hoje, se formos comparar com nossas favelas.
Bom, espero que tenham gostado. Estarei sempre postando novas ideias decifradas. Qualquer sugestão, reclamação ou opinião será bem vinda nos comentários. Expressem suas ideias também.
Até a próxima.
Karol Almeida.
Fontes:
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=YmXUQ1-6f9c
Letra: http://letras.terra.com.br/nacao-zumbi/77650/
História: http://pt.wikipedia.org/wiki/Rebeli%C3%B5es_na_Primeira_Rep%C3%BAblica_do_Brasil
http://pt.wikipedia.org/wiki/Canga%C3%A7o
http://rejanecalazans.blogspot.com/2007/08/personagens-galeguinho-do-coque.html



2 comentários:

  1. Muito bom! A música esconde alguns fatos, como estas lendas de Recife...
    Música rica em conteúdo!

    Otimo trabalho!

    ResponderExcluir